Posted by: kohlerortofacial | September 22, 2015

A NOCIVIDADE DO BRUXISMO (APERTAMENTOS/RANGIDOS) NAS CRIANÇAS.

Segundo Gerson I. Köhler, professor convidado de pós-graduação (UFPR) desde 1988, o bruxismo (apertamentos e rangidos de dentes) não se limita apenas a adultos estressados. Segundo o especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial, entre a 15% a 33% das crianças sofrem desta parafunção (uma função que não serve para nada, isto é, não tem um objetivo funcional, tal como mastigar, falar ou deglutir).
O bruxismo pode ter origem multifatorial (várias causas atuando para produzí-lo), mas independente da causa – que sempre deve ser identificada para que o tratamento seja possível – as consequências são muitas: fratura de dentes, aumento da sensibilidade dos dentes, severa erosão (desgaste) do esmalte, inflamação ou recessão da gengiva, necrose da polpa dentária, problemas periodontais (do entorno ósseo e gengival dos dentes), repercussões sobre as ATMs (as articulações da mandíbula ao crânio, ao lado dos ouvidos), dores faciais e de cabeça, entre outras.
Uma das várias características destas crianças – chamadas de bruxistas – é estudada pela Alergologia, desde os tempos de Dr. Marks, um médico alergista que efetuou – junto a University of Miami School of Medicine – USA, com acompanhamento do Sleep Disorders Center of Mount Sinai Medical Center- um criteriosos estudo sobre o bruxismo, O médico comparou crianças alérgicas (portadoras de rinite alérgica) com crianças normais (sem alergia). Os resultados da pesquisa científica mostraram que os pacientes alérgicos eram três vezes mais propensos e suscetíveis ao rangido/apertamento de dentes do que os não-alergicos.
Para Juarez Köhler, associado à Köhler Ortofacial, em Curitiba, é importante frisar que, normalmente, os fatores alérgicos (seja em crianças ou adultos) não costumm ser levadom em consideração quanto ao bruxismo, rangidos e apertamentos dos dentes entre si.

O professor Köhler enfatiza que costuma-se considerar, com mais frequência – pelo fato de também estarem envolvidos neste distúrbio que pode ser durante o sono ou mesmo em vigilia (acordado) – os fatores relativos a estresse, transtornos emocionais, ansiedade, tensão nervosa e também a forma pela qual os dentes se tocam entre si (inferiores contra superiores). Aduz, no entanto, que é importa saber que numa oclusão dentária desorganizada (com problemas ortodônticos), os efeitos nocivos do bruxismo podem se potencializar, gerando – com maior frequência – questões relacionadas a desconfortos craniofaciais (incluindo cefaléias tensionais e enxaquecas) e problemas com as ATMs.
Para Juarez Köhler, a explicação para que seja levada em consideração a condição alérgica (atópica) do paciente, é que o bruxismo pode ser iniciado reflexamente a partir do aumento da pressão negativa gerada nas cavidades timpânicas (dos ouvidos internos) pelo edema (inchaço) intermitente da mucosa que reveste as chamadas ‘tubas auditivas’, que ligam os ouvidos à nasofaringe.
Complementa o professor Gerson Köhler que isto se explica – na geração dos movimentos da musculatura mastigatória/facial – pelas relações de condições embriológicas, anatômicas e neurológicas existentes entre os músculos dos tímpanos, das tubas auditivas e da musculatura mastigatória.
Isto considerado, complementa Juarez Köhler, os distúrbios crônicos dos ouvidos médios – bastante comuns em pacientes com rinite alérgica – podem promover, segundo as pesquisas de Dr. Marks, uma ação reflexa, comandando os músculos da mastigação (que são os mesmos que atuam na geração do bruxismo) a atuarem no sentido de abrir as tubas auditivas (que estão fechadas pelo edema da mucosa que as reveste) para que possa haver a aeração interna – necessária – dos ouvidos.
Logicamente, informam os especialistas da Köhler Ortofacial, membros da ABOR – Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial ligada à World Federation Of Orthodontists – USA, que o tratamento, quando presentes causas alérgicas, passam, sempre, por uma associação terapêutica com médicos alergistas e/ou otorrrinolaringologistas.
Este assunto é de grande importância para pais de crianças, principalmente daquelas em fase escolar. Se sua criança apresenta sintomas como os descritos acima, procure avaliar estas questão tão logo possível. Disto vai depender a boa saúde e qualidade de vida de seus pequenos.

Fontes:

Gerson I. Köhler e Juarez Köhler, membros especialistas da ABOR – Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia, filiada intenacionalmente à WFO – World Federation of Ortodonthists – USA e também à Associação Brasileira de Sono.

– Marks, M.B. – Bruxism in allergic children – Am. Journal of Orthodontics and Dentofacial Orthopedics, 1980, 48-59

– D’Urso, A. et al – Sleep Bruxism in children – em: Webmed.Central.com, 22.09.2015

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

Categories

%d bloggers like this: