Posted by: kohlerortofacial | September 5, 2013

A importância do período pós-tratamento ortodôntico (chamado de ‘contenção de resultados’)‏

Mantendo a harmonia do novo sorriso
ImageProxy.mvc
Ortodontia: o pós-tratamento é importante para manter o sorriso harmonioso

O novo sorriso – já normalizado pelo tratamento corretivo – exige alguns cuidados para ser mantido para o futuro. Leia quais são estes cuidados. Seu novo sorriso vai agradecer por isto.

Este artigo é dedicado àqueles que já se submeteram a tratamento corretivo ortodôntico e – principalmente – àqueles que ainda estão sob este tipo de terapia que normaliza a região dentofacial, a oclusão dentária e o sorriso e cria um aspecto renovado de harmonia e beleza facial. Afinal, a boca – que contém os dentes – ocupa mais do que um terço de todo o rosto, daí ser fundamental esta tudo em ordem para proporcionar o melhor aspecto e a mais perfeita harmonia para o rosto como um todo.

O especialista Gerson I. Köhler – docente convidado de pós-graduação da Universidade Federal do Paraná – informa, para quem é leigo em Ortodontia, que é sempre fundamental explicar que os dentes – em suas arcadas – são levados às suas corretas posições graças à plasticidade óssea que está presente não apenas na infância ou adolescência, mas durante toda a vida. Os ossos que sustentam os dentes sofrem mudanças (graças à dinâmica dos osteoclastos e osteoblastos, que são células ósseas) e os dentes se encaminham, gradativamente, sob a suave pressão dos aparelhos, para as posições desejadas e necessárias.

É claro que após a retirada dos aparelhos corretivos fixos, as regiões ósseas neoformadas (que foram induzidas a ser formadas pela ação dos aparelhos) ainda não estão ‘maduras’. Esta maturidade óssea (inclui uma progressiva calcificação) costuma ocorrer durante os anos seguintes ao término do tratamento ortodôntico, razão pela qual, por pelo menos 3 anos, todo paciente tratado em relação ao seu sorriso e sua oclusão dentária, precisa utilizar os chamados ‘aparelhos de contenção’. Eles são passivos e apenas comandam os dentes a permanecerem em suas novas posições após a alta do tratamento ortodôntico (isto é, a retirada dos aparelhos fixos). Este tempo de uso dos ‘aparelhos de contenção’ deve – sempre – ser rigorosamente observado pelo paciente, com utilização normalmente feita à noite, para evitar possíveis e eventuais recidivas (isto seria a tentativa de volta dos dentes às suas posições anteriores ao tratamento).

Quando o paciente não utiliza corretamente o(s) seu(s) aparelho(s) de contenção o risco da recidiva (de ficar com o sorriso novamente comprometido) costuma ser alto. Nestes casos – pacientes que não utilizam os aparelhos de contenção – surgem aquelas tradicionais reclamações de que ‘fiz tratamento e tudo voltou a ser como era antes, isto é, em posições erradas’. Isto só ocorre quando o paciente é relapso e não utiliza os seus aparelhos de contenção do novo sorriso, informa Juarez Köhler, da Köhler Ortodontia e Ortopedia Facial.

Este período – chamado de ‘contenção de resultados obtidos pelo tratamento’ – tem que ser supervisionado periodicamente pelo especialista em Ortodontia. Então, as consultas do periodo de ‘contenção’ devem ser rigorosamente observadas e cumpridas. Claro que elas já não são necessárias a todo mês, como durante o tratamento ativo do sorriso/oclusão dentária com aparelhos. Normalmente, logo após a retirada dos aparelhos fixos, estas consultas ‘de contenção’ costumam ser efetuadas a cada 2 ou 3 meses e – gradativamente – vai sendo espaçado este período entre cada consulta. Nestas consultas, o(s) aparelho(s) de contenção devem ser sempre trazidos pelo paciente, pois exigem uma vistoria clínica para ver se não estão estragados e/ou deformados. Então, nestas consultas – já pós-tratamento ortodôntico ativo – o especialista checa a estabilidade posicional dos dentes nas arcadas e destas entre si e – também – a conservação dos aparelhos que permitem esta estabilização dos dentes em suas novas e corretas posições.

Na verdade, pela dinâmica da movimentação bucal, que é um sistema movido pelas forças musculares, os dentes somente permanecem nas novas posições a que foram levados pelos aparelhos fixos (corretivos) se este sistema (tecnicamente chamado de ‘sistema estomatognático’) estiver corretamente equilibrado e trabalhando em perfeita harmonia. Se isto não ocorrer – e estas questões também são rigorosamente checadas pelo especialista a cada consulta do período de ‘contenção de resultados’ – existem possibilidades de que os dentes tentem migrar para suas posições pré-tratamento. Então, além da posição dos dentes são levadas em consideração fatores tais como: a força da mastigação, eventuais ‘apertamentos contumazes de dentes’ e a posição e movimentação da língua na cavidade bucal (a língua é um poderoso músculo e tem a capacidade de alterar os ossos das arcadas devido à plasticidade óssea que sempre existirá em nosso corpo e especialmente nos ossos da boca, que são mandíbula e maxila). Outro fator muito importante a ser checado durante todo o período de ‘contenção de resultados ortodônticos’ é a respiração, que deve, sempre, ser corretamente efetuada pelo nariz e nunca pela boca. Esta é a razão – quando existe a conhecida ‘respiração bucal’ – pela qual a Ortodontia está muito interligada com a Otorrinolaringologia, pois o nariz – seja em crianças, adolescentes ou adultos – tem que estar funcionando corretamente. Eventual presença de hábitos nocivos à boca e aos dentes também precisam ser controlados, em crianças e adolescentes eles estão mais presentes do que em adultos. Onicofagia (roer unhas) é um deles e outro é ‘sucção digital’, isto é ‘sugar dedo(s)’, este, claro, mais próprio de crianças.

Todas estas questões relativas ao pós-tratamento ortodôntico já são informadas ao paciente (ou a seus pais, quando crianças e adolescentes) antes mesmo da terapêutica corretiva ortodôntica ser iniciada. Isto, entre muitas outras informações, consta do chamado TCLE – Termo de Consentimento Livre e Informado que todo paciente (ou seus pais) deve assinar antes de iniciar qualquer tratamento. E os pacientes devem estar sempre cientes de que este Termo de Consentimento é de extrema importância para ambas as partes envolvidas no tratamento ortodôntico, o paciente (e seus pais, se de menor idade) e o profissional especialista.

Mas, lembre-se, a questão não é somente efetuar o tratamento ortodôntico corretivo e simplesmente achar que os resultados vão durar – de forma automática – para o resto da vida. Para que isto aconteça – a manutenção dos bons resultados alcançados – é preciso seguir corretamente as regras do chamado ‘período de contenção de resultados ortodônticos’. Se você desejar saber mais sobre este importante assunto, que procura garantir resultados estéticos e funcionais alcançados pelo tratamento corretivo ortodôntico, fale com seu especialista. Ele estará apto a explicar tudo isto a você, em todos os detalhes que você deve – e precisa – saber para manter seu ‘bonito e funcional sorriso novo’ para o resto de sua vida.

Fontes:

Gerson I. Köhler e Juarez F. W. Köhler, membros especialistas da ABOR – Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial, filiada a World Association of Orthodontists – WFO – USA – kohler010@gmail.com – kohlerorotofacial.wordpress.com

– Orthodontic Retention: How Long is Long Enough, Midwestern Dental School, USA

– Rationale For Retention Following Orthodontic Treatment, Journal of Canadian Dental Association, Canada.
New
– See more at: http://www.blogizazilli.com/index.php/medicina/sorriso-harmoniosoo-pos-tratamento#sthash.3xoSwqPN.dpuf


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

%d bloggers like this: